Ricardinho candidato a melhor do mundo pela sétima vez consecutiva

O ala internacional português, de 31 anos, é um dos 10 candidatos a vencer a edição de 2016, o que faria do português o segundo jogador a conquistar o troféu três vezes seguidas

O ala internacional português Ricardinho, eleito melhor jogador de futsal do mundo em 2010, 2014 e 2015, integra pela sétima vez consecutiva a lista de nomeados ao prémio, divulgada na segunda-feira pelos promotores do mesmo.

Ricardinho, de 31 anos, é um dos 10 candidatos a vencer a edição de 2016, o que faria do português o segundo jogador a conquistar o troféu três vezes seguidas, depois do brasileiro Manoel Tobias (2000, 2001 e 2002).

Caso volta a ser designado melhor jogador de futsal do mundo, Ricardinho, que alinha nos espanhóis do Inter Movistar, igualará o recorde de quatro troféus, que pertence ao brasileiro Falcão, distinguido em 2004, 2006, 2011 e 2012.

"Muito feliz por voltar a estar eleito para melhor jogador do mundo, pela sétima vez consecutiva. Parabéns a todos os nomeados. Concorrência difícil para chegar novamente a tocar o céu", escreveu o jogador, na sua conta oficial na rede social Instagram.

Além de Ricardinho, integram a lista de candidatos os argentinos Leandro Cuzzolino e Pablo Taborda, os brasileiros Davi, Marcênio e Rodrigo Hardy, o iraniano Ahmad Esmaeilpour, o russo Dmitri Lyskov e o espanhol Miguelín.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.