Queiroz promove regresso de proscritos na seleção do Irão

O selecionador integrou ainda o guarda-redes do Marítimo na pré-convocatória para o Mundial

Carlos Queiroz anunciou esta segunda-feira a pré-convocatória da seleção do Irão para o Mundial 2018, onde será adversária de Portugal na fase de grupos.

A grande novidade desta primeira lista é a chamada de dois futebolistas que tinham sido banidos da equipa nacional iraniana por, em agosto de 2017, terem defrontado os israelitas do Maccabi Telavive quando representavam os gregos do Panionios. Tratam-se dos médios Massoud Shojaei, de 33 anos que atua agora no AEK Atenas, e Hajsafi, de 28 que representa o Olympiacos.

Na lista de 35 convocados por Carlos Queiroz está ainda Amir Abedzadeh, guarda-redes que terminou a época como titular do Marítimo.

Eis a lista completa de convocados:

Guarda-redes: Alireza Beiranvand (Persepolis), Seyed Hossein Hosseini (Esteghlal), Rashid Mazaheri (Zob Ahan) e Amir Abedzadeh (Marítimo/POR).

Defesas: Ramin Rezaeian (Oostende/Bel), Voria Ghafouri (Esteghlal), Steven Beitashour (Los Angeles FC/EUA), Seyed Jalal Hosseini (Persepolis), Mohammad Reza Khanzadeh (Padideh), Morteza Pouraliganji (Al Sadd/Qat), Mohammad Ansari (Persepolis), Pejman Montazeri (Esteghlal), Seyed Majid Hosseini (Esteghlal), Milad Mohammadi (Akhmat Grozny/Rus), Omid Nourafkan (Esteghlal), Saeid Aghaei (Sepahan) e Roozbeh Cheshmi (Esteghlal).

Médios: Saeid Ezatolahi (Amkar Perm/Rus), Massoud Shojaei (AEK Atenas/Gre), Ahmad Abdolahzadeh (Foolad), Saman Ghoddos (Östersund/Sue), Mahdi Torabi (Saipa), Ashkan Dejagah (Nottingham Forest/Ing), Omid Ebrahimi (Esteghlal), Ehsan Hajsafi (Olympiacos/Gre), Ali Karimi (Sepahan), Soroush Rafiei (Al-Khor/Qat), Ali Gholizadeh (Saipa) e Vahid Amiri (Persepolis).

Avançados: Alireza Jahanbakhsh (AZ Alkmaar/Hol), Karim Ansarifard (Olympiacos/Gre), Mahdi Taremi (Al-Gharafa/Qat), Sardar Azmoun (Rubin Kazan/Rus), Reza Ghoochannejhad (Heerenveen/Hol) e Kaveh Rezaei (Charleroi/Bel).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.