Proença defende a coexistência entre equipas B e campeonato de sub-23

O presidente da Liga quer que os jogadores que saem da formação tenham mais possibilidades de fazer a sua transição para seniores

Pedro Proença, presidente da Liga, assumiu esta quinta-feira, no congresso The Future of Football, organizado pelo Sporting, que "as equipas B e o campeonato de sub-23 são duas realidades que devem e podem viver em perfeita harmonia".

"Existem treinadores que manifestaram publicamente que são totalmente a favor da continuidade das equipas B e da vertente competitiva que a Liga 2 oferece", revelou Proença, que lembrando que "Portugal não se pode dar ao luxo de abdicar de mais de oito mil atletas que encontram dificuldades na transição da formação".

Nesse sentido, defende que se deve manter o espaço das equipas B "sem hipotecar o de outros", pois "podemos e devemos ter mais uma competição".

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.