Presidentes do Sporting e Arouca arguidos no caso do túnel de Alvalade

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol decidiu converter o processo de inquérito em processo disciplinar o 'caso do túnel de Alvalade', que opôs os presidentes de Sporting e Arouca

Após o final do jogo da 10.ª jornada da I Liga de futebol, a 06 de novembro, que os 'leões' venceram por 3-0, Bruno de Carvalho e Carlos Pinho desentenderam-se na zona dos balneários, levando mesmo à intervenção dos 'stewards' e da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Em comunicado, o CD explica que a proposta da Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional foi deferida parcialmente.

Este processo disciplinar terá como arguidos os presidentes dos dois clubes, o futebolista do Arouca Velasquez e o diretor desportivo do clube aveirense, Joel Pinho, filho de Manuel Pinho.

Figuram também na lista de arguidos um 'steward', o coordenador de segurança do Sporting Miguel Aragão Martins Tunes, o diretor de campo Luís Carlos Guerreiro Ferrão, o oficial de ligação aos adeptos André Geraldes e a Sporting, SAD.

"Apurados indícios da existência de infrações disciplinares bem assim a identidade dos seus agentes determina-se que o processo de inquérito em que os arguidos tenham já sido ouvidos fique a constituir a fase instrutória do processo disciplinar cuja instauração ora se ordena (...) À Comissão de instrutores que deduza a acusação no prazo de 20 dias", refere ainda o comunicado do CD.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.