Presidentes do Sporting e Arouca arguidos no caso do túnel de Alvalade

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol decidiu converter o processo de inquérito em processo disciplinar o 'caso do túnel de Alvalade', que opôs os presidentes de Sporting e Arouca

Após o final do jogo da 10.ª jornada da I Liga de futebol, a 06 de novembro, que os 'leões' venceram por 3-0, Bruno de Carvalho e Carlos Pinho desentenderam-se na zona dos balneários, levando mesmo à intervenção dos 'stewards' e da Polícia de Segurança Pública (PSP).

Em comunicado, o CD explica que a proposta da Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional foi deferida parcialmente.

Este processo disciplinar terá como arguidos os presidentes dos dois clubes, o futebolista do Arouca Velasquez e o diretor desportivo do clube aveirense, Joel Pinho, filho de Manuel Pinho.

Figuram também na lista de arguidos um 'steward', o coordenador de segurança do Sporting Miguel Aragão Martins Tunes, o diretor de campo Luís Carlos Guerreiro Ferrão, o oficial de ligação aos adeptos André Geraldes e a Sporting, SAD.

"Apurados indícios da existência de infrações disciplinares bem assim a identidade dos seus agentes determina-se que o processo de inquérito em que os arguidos tenham já sido ouvidos fique a constituir a fase instrutória do processo disciplinar cuja instauração ora se ordena (...) À Comissão de instrutores que deduza a acusação no prazo de 20 dias", refere ainda o comunicado do CD.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.