PJ faz buscas na SAD do Sporting. André Geraldes e mais três detidos

A Operação "Cashball" envolve elementos da Unidade Nacional de Combate à Corrupção

Quatro pessoas foram detidas esta terça-feira no âmbito da Operação "Cashball", depois de a Polícia Judiciária ter estado desde o início da manhã a fazer buscas na SAD do Sporting, em Alvalade, relacionadas com suspeitas de atos de corrupção. Segundo a CMTV, um dos detidos é André Geraldes, diretor do futebol do Sporting, e apontado como o braço-direito de Bruno de Carvalho.

"A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Norte, e no âmbito de inquérito dirigido pelo Ministério Público - DIAP do Porto, deteve quatro pessoas pela presumível prática dos crimes de corrupção ativa no desporto", lê-se no comunicado da PJ.

A operação, que envolveu quarenta elementos da Polícia Judiciária incluiu cerca de uma dezena de buscas domiciliárias e em clube desportivo.

A mesma nota avança que os detidos serão presentes "às competentes autoridades judiciárias para interrogatório e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas".

Fonte da investigação confirmou ao jornal Público que foram detidos, além de André Geraldes, também Gonçalo Rodrigues, funcionário do clube que estará envolvido nas trocas de mensagens para a alegada compra de árbitros de andebol. Os empresários Paulo Silva e João Gonçalves são os outros detidos e são suspeitos de terem sido intermediários no esquema de corrupção.

Segundo o Correio da Manhã, que avançou a notícia, as buscas decorrem no âmbito da investigação à corrupção desportiva no Sporting sobre a compra de árbitros no andebol. Decorrem ainda buscas na residência do Paulo Silva, que era quem alegadamente pagava aos árbitros, servindo de intermediário de André Geraldes (que no ano passado coordenava as modalidades), de acordo com notícias desta terça-feira.

As buscas envolvem elementos da Unidade nacional de Combate à Corrupção.

Na segunda-feira, a Procuradoria-geral da República confirmou investigação ao título de andebol leonino - em causa, está o campeonato do ano passado em que o Sporting terá pago a árbitros.

Segundo a edição de terça-feira do CM, o alegado esquema de corrupção no andebol envolvia "a compra de equipas de arbitragem, quer para os leões ganharem, quer para o Futebol Clube do Porto, com o qual disputaram o campeonato até ao fim, perder" e abrangeu a época de 2016/17, ganha pelo Sporting.

O CM citava conversas e trocas de mensagens de voz entre empresários, na aplicação da internet WhatsApp, e que segundo o jornal "mostram como André Geraldes, hoje diretor de futebol do Sporting, coordenava toda a batota".

Em atualização

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.