Plano Michel Sablon dá frutos. Joris Kayembe é um deles

Geração dourada conseguiu colocar a seleção no 1.º lugar do ranking FIFA. Extremo do Rio Ave joga nos sub-21 e sonha com mais

O belga Joris Kayembe chegou ao FC Porto, em 2013, como extremo esquerdo. Foi a jogar nessa posição, agora ao serviço do Rio Ave, que, na semana passada, voltou à seleção de sub-21da Bélgica, e sonha agora com uma chamada à equipa que lidera o ranking mundial de seleções A. O jovem de 21 anos é fruto de um plano que começou pouco depois de ele nascer, quando o dirigente Michel Sablon desenhou o plano que revolucionou o futebol belga e deu origem à atual geração dourada dos diabos vermelhos.

Depois da humilhação no Euro 2000, co-organizado com a Holanda, o então diretor técnico da federação decidiu criar a nova bíblia do futebol belga, com três grupos alvo: os clubes, a seleção e os treinadores da formação.

Nesse plano, foi pedido a todos os clubes para jogarem em 4x3x3 nos escalões abaixo dos sub-18: "Levou mais de cinco ou seis anos para que todos o pusessem em prática, porque para a maioria dos treinadores e clubes o mais importante era ganhar. Mas isso era absolutamente errado para o desenvolvimento de todos os jogadores. No início foi terrível. Mas depois começaram a ver resultados...", explicou Sablon.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.