Pato estreia-se com golo. Chelsea goleia e afunda Aston Villa

Pato marcou de penálti na estreia. Aston Villa tem descida de divisão à vista

O Chelsea goleou este sábado o Aston VIlla (0-4), fora de casa, deixando a histórica equipa de Birmingham à beira da despromoção da Premier League. Alexandre Pato marcou, de penálti, na estreia pelos blues.

Loftus-Cheek (26 minutos), Alexandre Pato (45+3, de grande penalidade) e um 'bis' de Pedro Rodríguez (46 e 59), construíram o triunfo do Chelsea, que sobe provisoriamente ao 9.º lugar, a seis pontos dos lugares de apuramento para a Liga Europa. O brasileiro Pato, chegado a Londres no mercado de inverno (emprestado pelo Corinthians) facturou no jogo de estreia.

Quanto ao Aston Villa, fundador da liga inglesa (1888), sete vezes campeão e vencedor da uma Taça dos Campeões Europeus (1982) está cada vez mais isolado no último lugar, com a descida de divisão 'à vista'. Com apenas 16 pontos em 31 jogos (três vitórias e sete empates), o clube atravessa um dos piores momentos da sua história e este sábado, no Villa Park, foram inúmeros os cartazes de indignação e desalento por parte dos adeptos.

"Orgulhosos da nossa história, qual o nosso futuro?" ou "Randy Lerner [proprietário do clube] mostra a tua cara", foram algumas das frases exibidas nas bancadas, quando o clube se arrisca a descer de divisão pela primeira vez em 28 anos. Após o jogo com o Chelsea, os adeptos despediram-se da equipa com assobios e insultos.

Ainda este sábado, o Arsenal (3.º) recebe o Watford (14.º), e o Tottenham (2.º) visita o Liverpool (10.º). O líder Leicester, com mais cinco pontos do que os 'spurs' recebe no domingo o Southampton (7.º), de José Fonte e Cédric.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".