Oito frases históricas do poeta do boxe

Muhammad Ali era ágil no ringue e com as palavras. Recorde algumas das citações mais famosas do pugilista

"Flutuo como uma borboleta e pico como uma abelha. As mãos não podem chegar ao que os olhos não veem."

"Sou um sábio do boxe, um cientista do boxe. Essa é uma realidade cientificamente demonstrada."

"Tomei a decisão de ser um negro dos que não se deixam apanhar pelos brancos."

"[Antes do combate com Joe Frasier] Este é o maior acontecimento da história, incluindo a chegada do homem à Lua."

"Quando me olho ao espelho vejo que não tenho nenhuma marca ou cicatriz na cara, isso prova que fui o melhor de todos."

"Um dia saí de ao pé do Papa [João Paulo II] e as pessoas perguntavam-se quem era quele senhor de branco que estava ao meu lado."

"Porque me pedem que vá para a guerra matar pessoas quando em Louisville os negros são tratados como cães?"

"Perguntava sempre aos meus adversários quanto é que eles mediam. Assim sabia o que tinha de recuar quando eles caíam."

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.