O ski elevado ao limite no Freeride World Tour

A cidade de Haines, no Alasca, recebeu alguns dos maiores esquiadores do mundo para o campeonato do mundo de ski em estilo livre

Uma queda de 600 metros, quase verticais, no Alasca, chamada The Venue. É esta a pista de ski do Freeride World Tour que se realizou esta semana.

A única forma de chegar ao topo é de helicóptero e foi isso mesmo que fizeram os 29 participantes, em ski e snowboard, que procuraram conquistar os 63 mil euros em prémios.

A competição ficou marcada por imprevistos, desde o mau tempo a uma avalancha, que impediram as provas até sexta-feira.

Este sábado, no entanto, estavam reunidas as condições ideiais para a prova. E foi possível apurar vencedores.

Em snowboard feminino, venceu a americana Shannan Yates; em masculino o americano Sammy Luebke. Em ski feminino o primeiro prémio foi para a italiana Arianna Tricomi e nos homens venceu o francês Loic Collomb-Patton.

Veja as suas descidas aqui:

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.