O regresso da Rosa é atração em dia de São Silvestre

Campeã olímpica da maratona em 1988, Rosa Mota, volta hoje a correr a tradicional prova de fim de ano na Amadora, aos 58 anos

Quando falamos de uma prova de estrada, de meio-fundo ou fundo, com grandes tradições no atletismo, o mais provável é que tenha o nome de Rosa Mota incluído no palmarés de vencedores. As tradicionais São Silvestres de fim de ano não fogem à regra. Basta olhar para o histórico de vencedores da mais famosa São Silvestre do mundo, que se corre desde 1925 em São Paulo, no Brasil. Sabe quem é ainda o atleta recordista de vitórias? Sim, a "Rosinha" (diminutivo carinhoso pelo qual a campeã olímpica de 1988 foi registada no léxico popular português), que ganhou lá por seis vezes.

Ora, em Portugal é na Amadora que se corre a mais famosa e antiga São Silvestre do país, que teve em Carlos Lopes, outro dos campeões olímpicos portugueses, o seu primeiro vencedor, em 1975. E, como não podia deixar de ser, Rosa Mota também aqui deixou a sua marca de vitória, ao ganhar a corrida em 1989, um ano depois do ouro olímpico na maratona de Seul.

Mas o seu contributo mais inesperado para esta corrida vai acontecer hoje, na 42.ª edição da prova. Aos 58 anos, a eterna "menina da Foz" portuense, atualmente vice--presidente do Comité Olímpico de Portugal, vai voltar a correr na São Silvestre da Amadora, tornando-se assim a principal atração das corridas deste último dia do ano.

Rosa Mota, que acedeu ao desafio da presidente da autarca local, Carla Tavares, não será, obviamente, candidata à vitória. Para isso estarão na Amadora alguns dos bons nomes da atual geração, como Salomé Rocha, Catarina Ribeiro e Marisa Barros, no setor feminino - e outros como Rui Pinto, Licínio Pimentel, Samuel Barata e Hugo Correia no masculino. Mas a campeã olímpica de Seul promete correr a totalidade dos 10 km, o que é por si só uma grande atração. E, além disso, Rosa mostrou há duas semanas, em Setúbal, que continua a manter um bom ritmo aos 58 anos, tendo competido na São Silvestre do Sado que encerrou o programa de Setúbal Cidade Europeia do Desporto e terminado a prova em quinto lugar.

Com o regresso da Rosa como figura de cartaz, a São Silvestre da Amadora, que apresenta este ano mais de 1500 inscritos, tem início marcado para as 17.50 no caso da elite feminina, com a partida geral a ser dada dez minutos depois, às 18.00.

Corrida matinal em Lisboa

Além da Amadora, este dia 31 de dezembro contempla também na agenda a São Silvestre de Lisboa. Na capital, a tradição de realizar a competição no último sábado do ano levou a corrida a coincidir com as celebrações da passagem do ano, o que ditou a alteração inédita da prova para as 10.30 da manhã.

A corrida volta a ser animada por uma "guerra dos sexos", com as mulheres a partir 2,59 minutos mais cedo do que os homens. Nesta altura, o histórico está favorável às mulheres, por 4-3. Dulce Félix vai tentar repetir a vitória de 2015 e terá como um dos rivais masculinos o companheiro Ricardo Ribas. Jessica Augusto e Hermano Ferreira são outros dos nomes presentes.

Exclusivos

Premium

Clássico

Mais de 55 milhões de euros separam plantéis de Benfica e FC Porto

Em relação à época passada, os encarnados ultrapassaram os dragões no que diz respeito à avaliação do plantel. Bruno Lage tem à sua disposição um lote de jogadores avaliado em 310,7 milhões de euros, já Sérgio Conceição tem nas mãos um grupo que vale 255,5 milhões. Neste sábado, no Estádio da Luz, defrontam-se pela primeira vez esta temporada.