"O combate antidoping em Portugal não está suspenso"

Secretário de Estado do Desporto faz aviso e revela que as análises dos atletas têm de ser enviadas para o estrangeiro

O secretário de Estado do Desporto avisou que o combate antidoping não está suspenso em Portugal. E espera que o laboratório de Lisboa recupere rapidamente a credencial da Agência Mundial Antidopagem (AMA).

"Quero deixar bem claras duas notas: a primeira, que é muito importante, é que o combate antidoping em Portugal não está suspenso. Nós temos uma autoridade antidopagem acreditada, a funcionar normalmente, os controlos a serem feitos", destacou João Paulo Rebelo, durante a visita ao Estoril Open.

De acordo com o responsável pelo pelouro do Desporto, a suspensão da acreditação internacional do laboratório de Lisboa não põe em causa a participação de atletas em provas internacionais: "Nada do ponto de vista do desporto nacional e do combate ao doping está posto em causa com esta suspensão. As análises são feitas, o controlo mantém-se como se fazia até agora."

Para já, as análises antidoping têm de ser enviadas para o estrangeiro."Há a hipótese de irem para a Bélgica, há um laboratório em Espanha e isso está a ser estudado. Posso-vos avançar até que dentro de dias vai ser decidido qual o laboratório com o qual vamos trabalhar", revelou.

E garantiu que o Governo está a fazer o possível para que, no prazo de seis meses, Portugal volte a ter um laboratório antidopagem acreditado pela AMA. "Há obviamente a necessidade de recursos, recursos humanos, técnicos e financeiros. O compromisso do Governo é voltar a ter o laboratório com a credibilidade que até há poucos anos tinha. É sempre de realçar que este laboratório foi, inclusivamente, referenciado para ser um laboratório dos Jogos Olímpicos", lembrou.

João Paulo Rebelo rejeitou ainda que a suspensão da acreditação do laboratório português coloque em causa análises já efetuadas.

A falta de independência do laboratório, os atrasos dos resultados dos relatórios e falhas na aplicação de métodos obrigatórios para deteção de substâncias foram alguns dos problemas apontados pela AMA para retirar a licença ao laboratório.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.