Nuno vence Carvalhal com golo de Rúben Neves e está mais perto da Pemier League

Wolverhampton bateu, fora de casa, o Sheffield Wednesday com um golo do antigo médio do FC Porto. Já são 11 os pontos que o separam do terceiro classificado, primeira equipa que fica fora da ascensão automática. Vida difícil para Carvalhal

O Wolverhampton, comandado por Nuno Espírito Santo, venceu o Sheffield Wednesday de Carlos Carvalhal por 1-0, com um golo de Rúben Neves aos 34 minutos. Na equipa visitante destaque para os quatro portugueses titulares, para além do marcador do golo, ainda foram escolhas iniciais Ivan Cavaleiro, Ruben Vinagre e Diogo Jota, tendo Hélder Costa entrado no decurso do encontro. Lucas João entrou na segunda parte pela formação visitada.

O golo do triunfo foi obtido através de uma sociedade que na época passada evoluía no Dragão: Boly deixou a bola para Rúben Neves rematar e fixar o resultado final.

A equipa de Nuno Espírito Santo segue na liderança isolada, com mais sete pontos que o vice-líder Cardiff e mais 11 que o Bristol City, que ocupa a terceira posição, de acesso ao play-off de subida. Em todo o caso o Wolverhampton está cada vez mais perto da Premier League ao passo que Carlos Carvalhal não vence há seis partidas e havia a informação de que se perdesse esta sexta-feira o português seria demitido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.