"Não te preocupes, ele não tem escolha, vou fazê-lo reconsiderar e ele vai pagar"

Televisão francesa M6 revelou escutas em que Benzema fala com um amigo sobre Valbuena

A televisão francesa M6 revelou esta quinta-feira parte de uma conversa entre o futebolista Karim Benzema e um dos supostos chantagistas do jogador Mathieu Valbuena, um homem chamado Karim Z., identificado como amigo de infância do jogador do Real Madrid.

Nas escutas, de acordo com a televisão francesa, Benzema chega a dizer: "Não te preocupes, ele não tem escolha, vou fazê-lo reconsiderar e ele vai pagar". Karim Z., segundo a televisão, tem cadasttro, tendo sido condenado por roubo em 2006.

A conversa terá sido gravada depois de Benzema ter falado com o jogador Lyon, a vítima, numa concentração da seleção francesa - uma conversa em que lhe terá dito para pagar para não ver o vídeo de cariz sexual divulgado.

Falta apurar, no entanto, se Benzema teve a intenção de ajudar o amigo Valbuena ou os chantagistas. Há uma frase em que Benzema diz: "Estamos aqui para o ajudar a solucionar o problema. Se ele não quer é problema dele. Ele que se entenda com essas piranhas."

O camisola 9 do Real Madrid foi detido na quarta-feira para prestar declarações sobre o caso, tendo saído esta quinta-feira, acusado de cumplicidade na chantagem. Benzema está ainda proibido de se aproximar do jogador do Lyon.

Entretanto, o jogador voltou a Madrid e já treinou.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.