Nairo Quintana é o novo líder da Volta a Espanha

Oitava etapa foi vencida pelo russo Sergey Lagutin, da Katusha

O russo Sergey Lagutin (Katusha) venceu este sábado a oitava etapa da Volta a Espanha em bicicleta, com chegada ao alto de La Camperona e que consagrou o colombiano Nairo Quintana (Movistar) como novo líder da geral.

Lagutin foi o mais forte do grupo que protagonizou a fuga do dia, deixando o perseguidor direto, o francês Axel Domont (Ag2r), a 10 segundos, depois de cumprir a tirada de 181,5 quilómetros iniciada em Villalpando em 4:09.30 horas.

Entre os favoritos, destacou-se Nairo Quintana, que ganhou 25 segundos ao ressuscitado espanhol Alberto Contador (Tinkoff), que não deu mostras de fragilidades físicas, depois de se ter envolvido numa queda coletiva na parte final da etapa de sexta-feira, e 33' ao britânico Chris Froome.

Na geral, Quintana destronou o seu compatriota Darwin Atapuma (MMC), e tem agora uma vantagem de 19 segundos sobre o espanhol Alejandro Valverde, seu colega de equipa, enquanto Froome é terceiro, a 27.

No domingo, disputa-se a nona etapa, que ligará Cistierna ao alto do Naranco, na distância de 164,5 quilómetros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os aspirantes a populistas

O medo do populismo é tão grande que, hoje em dia, qualquer frase, ato ou omissão rapidamente são associados a este bicho-papão. E é, de facto, um bicho-papão, mas nem tudo ou todos aqueles a quem chamamos de populistas o são de facto. Pelo menos, na verdadeira aceção da palavra. Na semana em que celebramos 45 anos de democracia em Portugal, talvez seja importante separarmos o trigo do joio. E percebermos que há políticos com quem podemos concordar mais ou menos e outros que não passam de reles cópias dos principais populistas mundiais, que, num fenómeno de mimetismo - e de muito oportunismo -, procuram ocupar um espaço que acreditam estar vago entre o eleitorado português.