FIFA processa federação mexicana por cânticos homofóbicos dos adeptos

Situação ocorreu quando o guarda-redes alemão Manuel Neuer batia o pontapé de baliza

A FIFA vai abrir um processo contra a Federação Mexicana de Futebol por cânticos homofóbicos dos seus adeptos no último jogo da seleção no Mundial 2018, no qual os mexicanos venceram a Alemanha (1-0).

Alguns adeptos da seleção 'tricolor' terão proferido cânticos homofóbicos aos 24 minutos de jogo, no momento em que o guarda-redes alemão Manuel Neuer batia o pontapé de baliza.

Esta não é a primeira vez que a federação do país é multada por questões de homofobia.

O caso mais recente foi em novembro de 2017, quando o México chegou a ser repreendido pelos mesmos motivos pelo Tribunal Arbitral do Desporto da FIFA, que acabou por não avançar com o processo.

O México defronta ainda a Coreia do Sul a 23 de junho, em Rostov do Don, e a Suécia, no dia 27, em Ecaterimburgo, nos restantes jogos do Grupo F do Campeonato do Mundo, que arrancou no dia 14 de junho e termina a 15 de julho.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.