Michel Platini chama "palhaços" a juízes da FIFA e do TAS

Ex-presidente da UEFA não se conforma com a suspensão de funções e defende, em entrevista, que a FIFA e o TAS não têm "juízes verdadeiros"

O ex-presidente da UEFA Michel Platini disse que a FIFA e o Tribunal Arbitral Desportivo (TAS) não têm "juízes verdadeiros" e acredita que acabará por ter a razão do seu lado, em entrevista à revista Marianne.

O antigo dirigente e futebolista internacional francês foi suspenso de qualquer atividade relacionada com futebol em maio de 2016, tendo, em junho do ano passado, visto o Tribunal Federal Suíço confirmar esta decisão.

"Não posso aceitar perder quando não fiz nada, tendo ainda sido impedido de trabalhar por quatro anos no futebol. Quem é que são esses palhaços para me impedirem de trabalhar?", questionou o Platini.

Em janeiro, Platini recorreu da decisão para o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

"Estou à espera das grandes decisões, das reais, das do promotor público suíço, ele é que fez uma investigação sobre esse pagamento supostamente desleal", acrescentou.

Platini foi suspenso de funções, na sequência do escândalo do pagamento de 1,8 milhões de euros em 2011 por suposto trabalho de consultadoria, sem um contrato escrito, pedido por Joseph Blatter (ex-presidente da FIFA) realizado pelo francês em 2002.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.