Mais um momento histórico para a seleção feminina

Primeira vitória de sempre na fase final de uma grande competição. Vítima foi a Escócia, derrotada por 2-1, com golos de Carolina Mendes e Ana Leite

Primeiro, festejou-se de forma exuberante o primeiro golo português num Europeu feminino, marcado aos 27 minutos por Carolina Mendes (uma das novidades no onze em relação à partida com Espanha) e que colocou a seleção nacional em vantagem com a Escócia. Mas o melhor estava para vir, com a confirmação da primeira vitória de Portugal numa grande competição. O futebol feminino nacional continua a somar momentos históricos à sua evolução.

Ainda houve um momento de alguma apreensão quando as escocesas chegaram à igualdade, aos 68 minutos, mas a reação foi quase imediata, com Ana Leite a colocar de novo Portugal em vantagem, aos 72", apenas dois minutos depois de entrar em campo.

É verdade que houve alguma fortuna portuguesa, não só na forma como a jogadora recém-entrada logo marcou como, principalmente, num lance aos 85 minutos, em que a bola bateu no poste direito da baliza de Patrícia Morais. No entanto, no balanço geral, a primeira vitória portuguesa na fase final de uma grande competição pareceu chegar com toda a justiça, premiando a excelente atitude demonstrada ao longo da partida.

A formação lusa valeu essencialmente pelo coletivo, mas é impossível não destacar a bela prestação da extremo Diana Silva, com "pilhas" para todo o jogo e sucessivas jogadas em alta velocidade junto à linha. Já Cláudia Neto fez valer toda a experiência, acelerando quando era necessário e congelando a bola em outras ocasiões. Na defesa, Dolores Silva esteve intransponível, tendo sido considerada a melhor em campo pela UEFA.

Apesar desta vitória, é muito complicado o cenário para Portugal passar aos quartos-de-final do Europeu... Para que isso aconteça, será necessário vencer a poderosa Inglaterra na última jornada do grupo, a não ser que a Espanha seja derrotada pela Escócia. Neste último (pouco expectável) cenário, bastaria o empate à seleção nacional. Refira-se que as inglesas bateram ontem as espanholas por 2-0, liderando com seis pontos e tendo já garantido a qualificação para a próxima fase. Portugal e Espanha têm três pontos e, como o primeiro fator de desempate é o confronto direto, a equipa nacional terá sempre de fazer melhor do que la roja, que venceu a equipa de Francisco Neto na primeira jornada.

Tudo saiu na perfeição

O selecionador, que recebeu um telefonema do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no final do jogo, reconheceu que tudo correu bem a Portugal. "Desta vez tivemos boas decisões. Às vezes não surtem efeito, mas hoje foi tudo perfeito", sublinhou.

Dolores Silva, eleita a melhor em campo pela UEFA, sublinhou que este "é um prémio coletivo de todas as jogadoras e qualquer uma poderia ter sido distinguida". Diana Silva falou em "dever cumprido", frisando que a equipa "lutou muito para isto".

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.