Luís Figo diz que suspeição e polémica no futebol português sempre existiram

O ex-futebolista, Bola de Ouro do France Football em 2000 e jogador do ano da FIFA em 2001, disse esta quarta-feira que a suspeição e a polémica sempre existiram no futebol português e vão continuar a existir.

"É uma coisa que sempre existiu, a suspeição, a polémica, e acho que sempre vai existir. Não só por ser histórico, mas também porque se trata um pouco da nossa cultura", disse Figo, aos jornalistas, em Vieira de Leiria, à margem de uma ação de reflorestação do pinhal de Leiria, promovida pela fundação que tem o seu nome.

Embora admitindo que, além dos resultados, não tem acompanhado "muito aquilo que se está a passar em Portugal em termos desportivos", o antigo atleta do Sporting, Barcelona e Real Madrid frisou que as polémicas e acontecimentos negativos não dão uma boa imagem do futebol.

"Mas, não é só em Portugal, isto acontece em outras partes do mundo. De uma vez, devíamos focar-nos naquilo que é realmente importante e produzir coisas positivas para o futebol português", advogou.

Sobre a situação do médio português do Barcelona, André Gomes, que na segunda-feira, em entrevista à revista Panenka, admitiu que não se sente bem em campo e que não tem prazer naquilo que faz, Figo afirmou que "toda a gente passa por momentos mais delicados na carreira" e existem sempre "altos e baixos".

"O mais importante é teres personalidade e caráter para poder ultrapassar esses momentos. É lógico que não é agradável para ninguém passar momentos assim, de falta de confiança, mas o mais importante é confiares nas tuas possibilidades e ter a personalidade suficiente para afrontar o dia de manhã", argumentou.

Figo disse desconhecer as críticas a que André Gomes tem sido sujeito no Barça, mas lembrou que um futebolista profissional tem de saber lidar com as críticas e os elogios.

"Faz parte do nosso trabalho e, depois, é uma questão de saberes lidar com uma coisa e com outra, e ter a personalidade e caráter de poder ultrapassar esses momentos mais difíceis. Quando jogas numa das melhores equipas do mundo, tens de estar sujeito à critica e ao elogio. Para mim, não é uma coisa do outro mundo, é uma coisa que existe no dia-a-dia", frisou.

A ação de reflorestação desta quarta-feira previa a plantação de 1.000 árvores num talhão do pinhal de Leiria, mas acabou cancelada devido ao mau tempo e o encontro entre Luís Figo e cerca de 60 crianças de um agrupamento de escolas da Marinha Grande foi mudado para o pavilhão dos bombeiros de Vieira de Leiria.

Ler mais

Premium

JAIME NOGUEIRA PINTO

O arauto da revolta popular

Rejeição. Não é, por enquanto, senão isso. Não pelos reaccionários, pelos latifundiários, pelos generais golpistas, pelos fascistas declarados ou encapotados, mas pelo povo brasileiro, que vota agora contra a esquerda dita idealista - e notoriamente irrealista quanto à natureza humana (sobretudo à própria) - que montou um "mecanismo" de enriquecimento ilícito e de perpetuação no poder digno dos piores hábitos do coronelismo e do caciquismo que os seus antepassados ideológicos, de Josué de Castro a Celso Furtado, tanto criticaram. Um povo zangado, enganado, roubado, manipulado pelos fariseus da tolerância, dos direitos humanos e das flores de retórica do melhor dos mundos, pelos donos de tudo - do pensamento único aos recursos do Estado.