Luís Castro diz que Chaves "vai com tudo a jogo" frente ao Sporting

O treinador do Desportivo de Chaves disse este sábado que apesar das "enormes diferenças" face ao Sporting, adversário da 26.ª jornada da I Liga, a equipa "vai a jogo com tudo" para conseguir pontos.

"A diferença é enorme, mas não estamos entregues, vamos a jogo com dignidade e com todo o nosso potencial, vamos por tudo em campo para conquistar pontos, estamos numa altura decisiva do campeonato para os somar e é isso que queremos", afirmou na conferência de imprensa de antevisão ao encontro, em Vila Pouca de Aguiar, distrito de Vila Real.

O técnico reforçou que a equipa de Trás-os-Montes vai querer jogar e fazer um bom resultado com a dinâmica "de sempre" contra um Sporting "muito forte" e bem orientado.

"Estamos preparados, prontos e entusiasmados como sempre até aqui", vincou.

Luís Castro considerou que os leões se vão apresentar muito intensos em Chaves porque é um "jogo decisivo" para se aproximarem do segundo lugar, ocupado pelo Benfica, e do título, sublinhando que quando uma "equipa grande" joga um jogo decisivo penaliza muito o adversário através da intensidade que impõe em campo.

Apesar de os jogos frente aos grandes não terem corrido da melhor forma em termos de resultados, o treinador espera que este seja diferente.

"Vamos tentar inverter essa tendência, sabendo que é uma tendência normal e um padrão que existe no campeonato português. Por exemplo, entre o terceiro e o sexto lugar há 23 pontos de diferença, o que é impensável, há uma clivagem e uma bipolarização do campeonato, motivado por um conjunto de fatores que o futebol português devia analisar e ter isso como prioridade", referiu.

Luís Castro entendeu que o futebol português deveria analisar e refletir sobre esta questão no futuro para que o campeonato seja mais equilibrado.

"Há clubes na I Liga que não têm condições para trabalhar no dia a dia em termos de infraestruturas, por isso, não se pode maquilhar o futebol português, tem de ser repensado", salientou, realçando as "enormes diferenças" entre as equipas.

Sobre as ausências de Domingos Duarte e Matheus Pereira, impedidos de jogar na segunda-feira por estarem em Chaves por empréstimo do Sporting, Luís Castro adiantou que "não é por aí" que a equipa vai diminuída para o jogo porque os outros jogadores têm trabalhado muito para terem uma oportunidade.

Já quanto a um eventual desgaste por parte dos leões, devido ao jogo da Liga Europa disputado na quinta-feira, o treinador sustentou que uma equipa que está nas competições europeias é uma equipa motivada por natureza, logo não há desgaste, mas sim motivação extra.

O Desportivo de Chaves, no sexto lugar, com 36 pontos, recebe o Sporting, terceiro, com 59, a oito do líder FC Porto, na segunda-feira, às 19.00, em jogo de encerramento da 26.ª jornada da I Liga.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".