Lopetegui diz que situação da Catalunha não perturba seleção

O selecionador espanhol de futebol disse esta quinta-feira que o seu grupo de jogadores "só se centra no desporto"

O selecionador espanhol de futebol, Julen Lopetegui, disse esta quinta-feira que a atual situação política na Catalunha não perturba a equipa nem os jogadores oriundos daquela região autónoma.

"Todos estamos muito contentes com este ambiente de alegria, se bem que não de euforia, porque ainda não ganhámos nada. Só nos centramos no plano desportivo, e quanto ao resto nem falámos disso nem é o momento", atirou o ex-treinador do FC Porto, sobre a situação na Catalunha.

O Tribunal Constitucional espanhol suspendeu no início do mês, como medida cautelar, todas as leis regionais aprovadas pelo Parlamento e pelo Governo da Catalunha que davam cobertura legal ao referendo de autodeterminação convocado para 01 de outubro próximo.

O conflito entre Madrid e a região mais rica de Espanha, com um PIB superior ao de Portugal, cerca de 7,5 milhões de habitantes, um terço da área de Portugal, uma língua e culturas próprias, arrasta-se há várias décadas.

O técnico ex-FC Porto falava à margem de uma visita ao estadio José Rico Pérez, em Alicante, onde a Espanha recebe a Albânia a 06 de outubro, a contar para a qualificação para o Mundial2018, na Rússia.

A dois jogos do final, a Espanha lidera o Grupo G, com 22 pontos, e espera um jogo "duro" com a formação albanesa, terceira com 13 pontos, em que pode confirmar a qualificação direta em caso de vitória.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).