Liga de futebol constitui-se assistente no processo de manipulação de resultados

O organismo liderado por Pedro Proença pede celeridade na resolução do processo, no qual se vai constituir assistente e recorda a presunção de inocência

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou que vai constituir-se assistente no processo, divulgado esta quarta-feira, que envolve futebolistas e dirigentes de várias sociedades desportivas por suspeita de manipulação de resultados.

"A exemplo daquilo que ocorreu, em situações análogas, nas três últimas épocas desportivas, este organismo ir-se-á constituir assistente no processo judicial instaurado", refere a Liga em comunicado.

O organismo que rege o futebol profissional lembra que o processo judicial está em segredo de justiça, referindo que "irá aguardar pelo desenrolar e conclusão do mesmo" e pede celeridade aos órgãos de polícia criminal e da disciplina desportiva.

Lembrando a presunção de inocência até decisão condenatória transitada em julgado, a LPFP garante que não compactuará "com a impunidade daqueles que, de forma leviana, coloquem em causa a integridade das competições profissionais de futebol".

A posição da Liga surge alguma horas depois de a Polícia Judiciária (PJ) ter anunciado que deteve quatro pessoas durante buscas realizadas na SAD do Sporting, em Alvalade (Lisboa), por "suspeitas de corrupção ativa", no âmbito de uma operação denominada 'Cashball'.

Em comunicado, o Sporting também confirmou a realização de buscas em instalações do clube, no âmbito de uma investigação que se encontra em segredo de justiça, e indica que dois colaboradores seus foram constituídos arguidos.

Em comunicado, a PJ adianta que a operação 'Cashball' envolveu 40 elementos da PJ e incluiu uma dezena de buscas domiciliárias e num clube desportivo (Sporting).

A investigação da PJ já levou à detenção do 'team manager' do clube, André Geraldes, mas também de Paulo Silva, suposto intermediário em casos de alegada corrupção em jogos de andebol e de futebol, e de João Gonçalves e Gonçalo Rodrigues, funcionário do clube.

Segundo o Correio da Manhã, a investigação do Ministério Público incide sobre vários jogos de futebol, nomeadamente o da terceira jornada da I Liga desta época, entre o Vitória de Guimarães e o Sporting, que os 'leões' venceram por 5-0.

O CM cita conversações que alegadamente implicam o defesa João Aurélio, jogador do Vitória que terá sido aliciado para facilitar o triunfo do clube lisboeta.

Além deste, estarão também em causa os restantes cinco jogos do Sporting nas seis primeiras jornadas na presente época da I Liga, com Desportivo das Aves, Vitória de Setúbal, Estoril Praia, Feirense e Tondela.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.