Lewis Hamilton já deixou um sério aviso aos rivais

Campeão fez o melhor tempo da primeira semana de testes, por larga margem

Depois de ter feito apenas 25 voltas nos primeiros três dias da primeira sessão de testes de pré-temporada, o campeão do mundo em título, Lewis Hamilton, aproveitou ontem o último dia de rodagem no circuito da Catalunha para deixar desde já um sério aviso à concorrência: a Mercedes volta a partir como favorita para um quinto título consecutivo no Mundial de Fórmula 1, que arranca no próximo dia 25, na Austrália.

É certo que os testes de pré-época não permitem aferir com exatidão o potencial competitivo dos diferentes carros - porque as estratégias das equipas podem divergir no que toca a pneus, configurações técnicas ou quantidade de combustível, por exemplo -, mas o tempo afixado pelo britânico deixa indicadores preocupantes para os principais rivais na luta pelo título.

Lewis Hamilton rodou em 1.19,333 minutos na sua volta mais rápida, meio segundo mais rápido do que o segundo melhor tempo do dia, do belga Stoffel Vandoorne (McLaren), e uns três décimos melhor do que Sebastian Vettel fizera com o seu Ferrari no segundo dia de testes em Barcelona. O mais impressionante ainda é que o piloto inglês, tetracampeão mundial, conseguiu essa volta com pneus médios, enquanto o tempo de Vettel, por exemplo, foi obtido com pneus macios (que permitem tempos mais rápidos) e o de Vandoorne com pneus hipermacios.

Num dia em que o mau tempo finalmente deu algumas tréguas no circuito catalão (na véspera tinha até nevado), a Mercedes deu sinais de estar num patamar acima, enquanto a McLaren (de Vandoorne e Alonso) aproveitou para mostrar fiabilidade e rodou 161 voltas.

Sebastian Vettel, que ontem se ficou por 1.20,241 com pneus macios (aquém do tempo que fixara no segundo dia), disse ter ficado com uma "boa primeira impressão" do seu Ferrari, mas reconheceu que os Mercedes "são os favoritos". Ainda assim, acredita que vai ser "uma luta apertada, muito apertada". A segunda e última sessão de testes de pré-época volta a ter lugar na Catalunha, na próxima semana (de 6 a 9).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...