José Vieira e Diana Torres de prata

Dia de conquistas para Portugal nos Europeus de Loano (Itália)

José Vieira conquistou a medalha de prata nos 25m bruços na segunda jornada dos 3.ºs Campeonatos da Europa Open de Natação DSISO 2015, que decorrem até 11 de novembro em Loano (Itália). A jornada foi marcada ainda pela medalha de prata de Diana Torres e peo bronze de Ana Castro nos 400m estilos.

O experiente nadador do Louletano, de 32 anos, assegurou o segundo lugar com o tempo de 20,98 segundos, numa competição dominada pelo francês Rafael Dutay (19,68). O bronze foi conquistado por Ricardo Guerrero (21,83).

Por seu lado, a jovem nadadora Diana Torres (16 anos), da ADADA (Associação de Desporto Adaptado do Porto), que no domingo assegurou o recorde do mundo de juniores com o bronze nos 200 m estilos (3.59,81), terminou agora os 400 m estilos em segundo lugar, com o tempo de 8.38,32, apenas superado pela italiana Dalila Vignando (7.30,10). Ana Castro (CN Maia) conquistou o bronze (9.09,92).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.