Iniesta e Messi fabricam empate e celebram noite muito especial

Chelsea cede igualdade 1-1 frente ao Barça, que pode agradecer a uma dupla recordista. Bayern goleou Besiktas

O Barcelona arrancou um saboroso empate a um golo em Londres diante do Chelsea, no grande jogo da noite de ontem dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.

A equipa de Antonio Conte acabou por ser, para já, o conjunto inglês que pior resultado obteve nesta primeira mão, pois o golo sofrido em casa deixa-a em desvantagem para o duelo da segunda mão em Camp Nou a 14 de março.

Os londrinos concederam a iniciativa de jogo ao Barça, como aliás provam os 68% de posse de bola da equipa de Ernesto Valverde, mas procuraram jogar no contra-ataque à espera do erro do adversário. E a verdade é que só os postes foram travando o golo do Chelsea, uma vez que o brasileiro Willian, por duas vezes, acertou em cheio nos ferros. Contudo, ao terceiro remate de fora da área bateu o guarda-redes Ter Stegen. Ainda faltavam jogar 28 minutos e o Barcelona, como é hábito, continuou a jogar da mesma forma, rondando sempre a baliza de Courtois, até que aos 75 minutos lá surgiu o empate. A jogada foi fabricada pelos dois jogadores que mais vezes jogaram juntos na Liga dos Campeões (97 partidas - Xavi e Puyol fizeram menos uma): Iniesta assistiu e Messi colocou a bola dentro da baliza do Chelsea. A estrela argentina bem podia festejar, afinal nunca tinha marcado aos londrinos, conseguiu-o ao nono duelo e ao fim de 729 minutos...

O empate 1-1 acaba por deixar os catalães com um sorriso nos lábios, afinal superaram oito das dez eliminatórias em que conseguiram este resultado na primeira mão fora de casa. E se a tradição recente se cumprir, bem podem preparar-se para uma festa de arromba no dia 26 de maio em Kiev. É que nas últimas três vezes que Barcelona e Chelsea mediram forças numa eliminatória, um deles levantou o troféu.

O terceiro 5-0 dos "oitavos"

No outro jogo da noite, o Bayern Munique imitou o Liverpool (diante do FC Porto) e o Manchester City (perante o Basileia) e aplicou também um 5-0 aos turcos do Besiktas, estreantes nesta fase da Liga dos Campeões. Com Pepe e Ricardo Quaresma no onze, a equipa de Istambul até começou atrevida, mas a expulsão do central croata Domagoj Vida hipotecou as possibilidades do campeão da Turquia.

Ainda assim, os alemães apenas quebraram a muralha adversária já perto do intervalo, quando Thomas Müller inaugurou o marcador, após tanto desperdício. Só que na segunda parte aconteceu o inevitável, Kingsley Coman, Thomas Müller e o inevitável Lewandowski, por duas vezes, sentenciaram a eliminatória. E a goleada só não foi maior porque o guarda-redes Fabri foi gigante na baliza do Besiktas, que ontem entrou no relvado do Allianz Arena com o sexto onze mais velho de sempre a jogar um desafio da Liga dos Campeões. Oito dos seus jogadores tinham mais de 30 anos, perfazendo uma média de 31 anos e 151 dias.

Ler mais

Exclusivos