Frederico Morais enfrenta John John Florence em Margaret River

O português Frederico Morais vai defrontar o havaiano John John Florence, atual campeão do mundo, na segunda etapa do circuito mundial de surf, em Margaret River, na Austrália, entre 29 de março e 9 de abril.

A organização do Drug Aware Margaret River Pro divulgou este domingo o alinhamento da competição, depois da desistência, por lesão, do brasileiro Italo Ferreira, que vai ser substituído pelo norte-americano Nat Young.

Assim, 'Kikas', que depois do primeiro campeonato está entre os 13.ºs do 'ranking', vai disputar o acesso direto à terceira ronda no sexto 'heat', frente a John John Florence, terceiro do circuito, e a um surfista com direito a 'wild-card', que será conhecido na terça-feira.

Na sua primeira prova como integrante da elite, Frederico Morais foi derrotado pelo norte-americano Kelly Slater, 11 vezes campeão do mundo, na terceira eliminatória, depois de ter batido o brasileiro Filipe Toledo e o australiano Adrian Buchan, na primeira ronda.

O australiano Owen Wright, vencedor na Gold Coast e atual líder do circuito, vai iniciar a segunda etapa frente ao compatriota Connor O'Leary e ao brasileiro Ian Gouveia, depois de Matt Wilkinson enfrentar Miguel Pupo e Jack Freestone (AUS)

A primeira bateria da segunda das três etapas australianas do circuito vai promover o embate entre Slater, o australiano Mick Fanning, três vezes campeão do mundo, e o 'rookie' italiano Leonardo Fioravanti.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.