Fernando Santos: "No jogo temos de tocar bombo, mas também violino"

Portugal joga esta segunda-feira frente ao Irão o último jogo da fase de grupos do Mundial 2018.

A pressão e o desempenho dos jogadores foi o tema dominante na conversa entre o selecionador nacional e os jornalistas nesta quinta-feira.

Fernando Santos diz não sentir nos treinos que exista a tal ansiedade que a equipa tem vindo a demonstrar nos jogos, porém reconhece que o estatuto de campeão Europeu pode pesar e nem sempre de forma positiva: "Pode acontecer a ansiedade prejudicar os jogadores. Isto é tudo muito bonito mas ser campeão da Europa tem o seu peso. As coisas não acontecem por acaso. Mas se isso está a acontecer nos jogos, eu não o vejo nos treinos. Eu sei que no dia-a-dia eles não estão ansiosos, porque falo com ele e conheço os meus jogadores, mas num jogo o subconsciente tem muita influência."

Sobre o jogo com o Irão, o técnico recorre a violinos e bombos para pedir mais agressividade aos seus jogadores, bem como mais controlo da partida: "Umas vezes toca-se violino e outras bombo. No jogo temos de tocar bombo e também violino. Se quisermos ser só violinistas aquilo vai cair. Só bombo também não dá. Por um lado temos de ser agressivos e não permitir que o adversário jogue e ganhe as disputas individuais. Depois é pôr a capacidade ofensiva em campo".

Uma promessa fica desde já feita: "Portugal vai passar esta fase e vai ser melhor quando entrar a próxima".

O jogo entre Portugal e Irão está agendado para as 19 horas desta segunda-feira na Arena de Saransk.

Ler mais