Fernando Santos: "Tenho os meus jogadores a chorar"

Portugal perde com o Uruguai e é eliminado do Mundial de futebol.

Após o final do jogo, o selecionador, Fernando Santos, considerou que Portugal fez o suficiente para sair deste encontro dos oitavos de final com outro resultado e assumiu a tristeza pela eliminação.

"Não me parece nada justo. Portugal fez o suficiente para ter outro resultado, mas às vezes não acontece. Entrámos bem no jogo, conseguimos criar oportunidades mas não marcámos. O Uruguai foi à nossa baliza uma vez e marcou. Faltou-nos alguma presença na área na primeira parte, pus o Bernardo Silva mais dentro para termos mais bola. Na segunda parte, a equipa foi mais dominadora, fizemos o golo que era o mais difícil. Eles foram lá mais uma vez e marcaram. A equipa tentou, os jogadores lutaram. Estamos todos muito tristes, mas o futebol é isto", analisou o técnico, em declarações à RTP.

Mais tarde, e depois de passar pelo balneário, Fernando Santos voltou a falar, desta feita à Sport TV, e referiu que tinha o balneário desfeito com a eliminação: "Em primeiro lugar queria agradecer ao povo português, sei que as praças estiveram cheias um pouco por todo o país, e as pessoas tiveram de mãos dadas. Tenho os meus jogadores a chorar, queríamos dar uma alegria grande aos portugueses, os jogadores queriam muito. Eu acho que eles fizeram uma segunda parte fantástica, com entrega, garra, determinação, mas o futebol é isto. Não vale a pena chorar sobre o leite derramado"

Portugal perdeu com o Uruguai por 2-1. Cavani (7' e 62') esteve em destaque ao apontar os dois golos da formação sul-americana.

Ler mais

Exclusivos

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...