Federer não joga qualquer torneio de terra batida em 2018

Suíço volta a parar e volta a fazer cair por terra o sonho da organização do Estoril Open de o fazer regressar ao torneio português.

Roger Federer anunciou este sábado que não vai disputar qualquer torneio de terra batida em 2018, à semelhança do que fez em 2017. O suíço de 36 anos só deverá voltar a competir no torneio de Halle, em relva, duas semanas após Roland Garros.

"Decidi não jogar a temporada de terra batida. Não estou muito preocupado com a liderança do ranking. Foi bom recuperar o número um naquela semana em Roterdão, mas mantê-lo nesta altura da minha carreira não é especialmente relevante", disse o tenista, após o encontro da segunda ronda em Miami, onde perdeu com Thanasi Kokkinakis, número 175 em todo o mundo.

O resultado fez com que o número um do ténis mundial perdesse a coroa de imediato, dando lugar ao espanhol Rafael Nadal, que também está sem competir desde janeiro. "Foi bom voltar a ser o número 1 em Roterdão, mas manter essa posição não é importante nesta altura", confessou Federer, que assim deita por terra o sonho da organização do Estoril Open em convencer o suíço a voltar ao torneio português, que venceu em 2008.

João Zilhão já disse mais do que uma vez que tem "sempre" um wild card reservado para Roger Federer, mas ainda não será desta vez que o tenista o vai aceitar. O open português é um dos torneios de terra batida e joga-se entre 28 de abril a 6 de maio, no Clube de Ténis do Estoril.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".