Estrelas do desporto francês entre os 10 mortos em acidente aéreo na Argentina

Dois helicópteros colidiram em pleno voo durante as filmagens do reality show "Dropped", que incluía oito desportistas franceses.

Três conhecidos desportistas franceses estão entre as dez vítimas de um acidente aéreo ocorrido, esta segunda-feira, na Argentina, nas filmagens de um reality show. A velejadora Florence Arthaud, a campeã olímpica de natação Camille Muffat e o pugilista olímpico Alexis Vastine morreram no desastre.

Os dois helicópteros colidiram em pleno voo, nas montanhas da zona turística de La Rioja, no noroeste da Argentina, durante as gravações de um reality show da TF1 chamado "Dropped" - o programa consiste em levar desportistas famosos, vendados, num helicóptero, para um local selvagem, para que, depois, eles consigam voltar à civilização usando apenas as suas capacidades, sem qualquer ajuda da produção.

"Aparentemente, os dois helicópteros colidiram quando estavam a filmar. Não há sobreviventes", disse o porta-voz provincial Horacio Alarcon. Citado pela AFP, o mesmo responsável afirmou que as condições climatéricas eram boas, pelo que se desconhecem as causas da colisão entre as aeronaves alugadas pela produção do programa.

Em França já foi aberto um inquérito sobre o acidente e já foram enviados investigadores para a Argentina. O presidente François Hollande já manifestou a sua "imensa tristeza" pelo "desaparecimento brutal" dos seus compatriotas.

Fonte policial confirmou que morreram dois pilotos argentinos e oito passageiros franceses - incluindo Florence Arthaud, de 57 anos, Camille Muffat, 25, e Alexis Vastine, de 28 anos. As outras vítimas faziam parte da equipa do programa.

Outros escaparam ao desastre. O programa "Dropped" incluía mais cinco personalidades do mundo desporto: o nadador Alain Bernard, o futebolista Sylvain Wiltord, a ciclista Jeannie Longo, a snowboarder Anne-Flore Marxer e o patinador Philippe Candeloro. Nenhum estava nos helicópteros no momento do acidente.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.