Eliseu entre o Olympiacos e o Benfica decide após a Confederações

Defesa esquerdo é pretendido em Atenas, muito por influência do diretor desportivo do clube helénico, mas ainda não tomou uma decisão final. Depois de Portugal, Espanha e Itália, pode conhecer quarto campeonato

Eliseu, que ontem se estreou na Taça das Confederações (entrou aos 66" para o lugar do lesionado Raphaël Guerreiro), está em final de contrato com o Benfica e, ao que o DN apurou, o seu futuro pode passar pela Grécia.

O Olympiacos, heptacampeão grego, está interessado no defesa açoriano e já transmitiu isso ao atleta. Para este entusiasmo do clube - pelo qual se sagraram campeões os treinadores portugueses Leonardo Jardim, Vítor Pereira, Marco Silva e Paulo Bento - contribui a admiração do diretor desportivo do Olympiacos, o argentino Armando Husillos, que conhece Eliseu da altura em que coabitaram nos espanhóis do Málaga.

Uma coisa parece certa: Eliseu não vai tomar qualquer decisão antes do final da Taça das Confederações. Após a competição, o defesa vai reunir-se com a família e analisar as hipóteses em carteira, sendo certo que, atualmente, resumem--se a Benfica e Olympiacos.

Na Luz, depois de uma conversa no final de 2016, em que lhe foi transmitido interesse na continuidade, o assunto arrefeceu tendo-se reacendido depois de o Benfica ter conquistado o tetracampeonato.

Ainda não foram discutidos pormenores relativamente a um novo contrato, caso Eliseu renove por mais um ano com o Benfica, mas parece difícil que possa manter a folha salarial da altura em que foi contratado ao Málaga, em 2014.

Ou seja, por outra palavras, na Grécia terá a possibilidade de manter e até elevar os seus emolumentos, mas na Luz não tem essa garantia, pelo que terá, basicamente, de optar entre os euros e a estabilidade familiar.

Há um terceiro ponto que pode ser decisivo na decisão e passa muito pela vontade de um e de outro clube em contar com os seus serviços, até porque no Olympiacos, possivelmente, terá bem mais possibilidades de somar minutos, ao passo que no Benfica terá sempre a concorrência do espanhol Alejandro Grimaldo, que, na época passada, sempre que esteve operacional foi opção inicial de Rui Vitória nos jogos mais importantes.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".