E vão 16 reforços para o futebol feminino do Benfica

Andreia Faria, 18 anos, troca o Vilaverdense da I Liga pelo projeto do clube da Luz que vai iniciar-se na II Liga

A média Andreia Faria é a 16.ª contratação para a equipa de futebol feminino do Benfica, que se estreia na próxima época no campeonato nacional de promoção, anunciou hoje o clube da Luz.

Andreia Faria, de 18 anos, atuou no Vilaverdense na última temporada, depois de ter representado o Abambres Sport Clube e a Escola Diogo Cão.

"É um sentimento inexplicável, um sentimento de enorme orgulho porque, tendo em conta a minha idade, estou a representar um clube de uma grande dimensão, por isso sinto-me muito feliz", disse a jogadora, em declarações à BTV.

Esta época, Faria marcou quatro golos em 16 jogos no Vilaverdense, clube que acabou na quarta posição na I Liga feminina.

A nova jogadora dos 'encarnados' junta-se às 15 já contratadas pelo Benfica, que se vai estrear no campeonato de promoção, o equivalente da II divisão, sob o comando técnico de João Marques.

Além da ex-jogadora do clube de Vila Verde, o Benfica já assegurou também a contratação das portuguesas Carlota Cristo, Jassie Vasconcelos, Pipa, Tita, Catarina Bajanca, Sílvia Rebelo, Carolina Vilão e Adriana Gomes, das brasileiras Dani Neuhaus, Daiane Rodrigues, Ana Alice, Geyse Ferreira, Darlene de Souza Reguera e Maiara e da cabo-verdiana Evy Pereira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.