"É um grande momento na minha carreira"

Ronaldo agradeceu aos colegas do Real Madrid e aos companheiros da seleção e também a todos aqueles que o ajudaram a estar em grande forma

Cristiano Ronaldo assumiu esta quinta-feira, ao receber pela quinta vez a Bola de Ouro, prémio atribuído pela revista francesa France Football ao melhor futebolista do ano, que este é um grande momento da sua carreira.

"Sinto-me feliz. É um grande momento na minha carreira. Estou contente por ter tido uma época fantástica, com a vitória na Liga dos Campeões e na liga espanhola. Em termos individuais, consegui tornar-me o melhor marcador da história da 'Champions'. E a conquista desses troféus ajuda a conquistar estes prémios", reconheceu o capitão da seleção nacional.

Ronaldo agradeceu aos colegas do Real Madrid e aos companheiros da seleção e também a todos aqueles que o ajudaram a estar em grande forma.

Momentos antes, ainda no topo da Torre Eiffel, onde surgiu com a Bola de Ouro na mão, o avançado madridista confessou que nunca esperou receber o prémio naquele cenário.

"É fantástico. É uma grande experiência, não estava à espera, está frio, mas não há problema", disse.

Ronaldo ganhou hoje pela quinta vez a Bola de Ouro, prémio atribuído pela revista francesa France Football ao melhor futebolista do ano, somando o quarto troféu nos últimos cinco anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

JAIME NOGUEIRA PINTO

O arauto da revolta popular

Rejeição. Não é, por enquanto, senão isso. Não pelos reaccionários, pelos latifundiários, pelos generais golpistas, pelos fascistas declarados ou encapotados, mas pelo povo brasileiro, que vota agora contra a esquerda dita idealista - e notoriamente irrealista quanto à natureza humana (sobretudo à própria) - que montou um "mecanismo" de enriquecimento ilícito e de perpetuação no poder digno dos piores hábitos do coronelismo e do caciquismo que os seus antepassados ideológicos, de Josué de Castro a Celso Furtado, tanto criticaram. Um povo zangado, enganado, roubado, manipulado pelos fariseus da tolerância, dos direitos humanos e das flores de retórica do melhor dos mundos, pelos donos de tudo - do pensamento único aos recursos do Estado.