Dérbi renhido nos homens, leoas com via verde para a vitória

Equipas masculinas de Sporting e Benfica apostam tudo no campeonato nacional de hoje, em Monforte. Jéssica Augusto pode igualar Fernanda Ribeiro. Águias sem mulheres

A vila de Monforte, no distrito de Portalegre, vai hoje receber o 95.º Campeonato de Portugal de Corta-Mato Longo, que deverá ter a participação de mais de 1500 atletas oriundos de mais de cem equipas de todas as regiões do país.

A principal atração da competição que vai iniciar-se às 9.30, com a prova de juvenis femininos, é a luta pelo título de seniores masculinos, vertente em que o Sporting vai tentar o tri, mas em que o Benfica vai apostar as fichas todas com vista a recuperar um troféu que escapa desde 2015.

Campeão por 46 vezes, mais do dobro do que os encarnados, os leões chegam aos nacionais moralizados pelas recentes vitórias no Nacional de Estrada, em janeiro, e sobretudo no Campeonato Europeu de Corta-Mato, em fevereiro. Na prova internacional realizada em solo português, mais precisamente em Mira, os verde e branco beneficiaram da vitória individual do jovem queniano Davis Kiplangat, 19 anos, e as boas classificações de Rui Pedro Silva (6.º), Rui Teixeira (7.º) e Licínio Pimentel.

É sobretudo por este quarteto que passa grande parte da esperança leonina na conquista do tricampeonato. No entanto, deste lote apenas Rui Pedro Silva já foi campeão nacional de corta-mato longo, em 2007 e 2009, podendo igualar os três títulos de João Silva (1944, 1945 e 1946 pelo Benfica) e de Manuel Damião (2012 e 2013 pelo Maratona e 2014 pelo Sporting) em caso de triunfo. Ainda assim, para um traçado que se apresenta como duro e que deverá ter dificuldade acrescida depois da chuva que caiu durante as últimas semanas, o Benfica também apresenta argumentos para recuperar um trono que já ocupou por 22 vezes. Rui Pinto não só venceu duas das três últimas edições (2015 e 2017) como se sagrou campeão nacional de corta-mato curto há três semanas, em Albufeira, batendo os companheiros de equipa Hermano Ferreira e Ricardo Ribas, numa prova em que as águias venceram coletivamente pelo sexto ano consecutivo, mas que não contou com a presença do Sporting - Maia AC e Sp. Braga completaram o pódio. Também pelos encarnados vão correr o veterano Rui Silva e o recém-coroado campeão nacional de estrada Samuel Barata.

Contudo, se a luta coletiva deverá ser entre os rivais de Lisboa, é preciso não esquecer o que aconteceu há dois anos, quando os atletas do Sporting e do Benfica fizeram marcação cerrada uns aos outros com vista à vitória por equipas, deixando que o surpreendente Nélson Cruz, do Clube Pedro Pessoa (de Almada), fosse o primeiro a cortar a meta.

Prova feminina sem Benfica

Quando for dado o tiro de partida para a prova masculina (12.30) já se conhecerá as vencedoras da competição feminina, que tem início agendado para as 11.50.

Sem a concorrência do Benfica, que não vai apresentar equipa, só uma hecatombe poderá impedir que o Sporting conquiste o segundo título consecutivo e o sexto do seu historial. Afinal, além da ausência encarnada, é necessário recordar que as leoas também se sagraram campeãs europeias há pouco mais de um mês. Jéssica Augusto, vice-campeã da classificação individual, foi a primeira atleta de verde e branco a cortar a meta, seguida de Sara Moreira (quinta), Inês Monteiro (sétima) e Svetlana Kudzelich (oitava).

Além de vice-campeã europeia, Jéssica Augusto é também a atual campeã nacional de corta-mato longo, depois de no ano passado ter conquistado o título pela quarta vez, a primeira de leão ao peito - já o tinha feito em 2006 pelo Sp. Braga e em 2007 e 2008 pelo Maratona. Em caso de novo triunfo, a atleta de 36 anos iguala Fernanda Ribeiro, vencedora em 1996, 1997, 1998, 1999 e 2003 ao serviço do FC Porto. Deverá ter em conta a concorrência da sempre candidata Sara Moreira e da veterana Inês Monteiro, vencedora em 2009 e que comprovou o bom momento de forma com a vitória no campeonato nacional de estrada.

Já Mariana Machado (Sp. Braga), que se sagrou campeã nacional nacional de corta-mato curto em absolutos há três semanas, neste domingo não vai poder seguir as pisadas da mãe, Albertina Machado, que conquistou o título de corta--mato longo em 1987 e 1988. A atleta bracarense, que ainda é júnior, vai competir no seu escalão.

Ler mais

Exclusivos