Dança 'afro-beat' inspirada nos saltos de Ronaldo já chegou a Paris

Vídeo "CR7 Afro-Challenge" já tem mais de 435 mil visualizações no Youtube

Uma música humorística 'afro-beat', publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na Internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

"Quand Cristiano Ronaldo marque le but il saute comment?" ["Quando Cristiano Ronaldo marca um golo como é que ele salta?"] é a frase repetida em 'loop' no vídeo original do músico congolês DJ Flex, e que foi publicado nas contas YouTube, Facebook, Twitter e Instagram de Niggaz With Enjaillement, um grupo francês com centenas de clips de músicas e danças 'afro-beat'.

O "CR7 Afro-Challenge" teve mais de 435 mil visualizações no YouTube e há várias pessoas a imitarem ou a criarem coreografias para responder, a dançar, como é que Ronaldo salta quando acerta na baliza.

Em Paris, no centro cultural Centquatre, por exemplo, onde dezenas de jovens ensaiam diariamente danças dos mais diversos estilos em frente aos visitantes, a Lusa encontrou um grupo de amigos que nem gosta de futebol, mas que está a preparar uma coreografia para publicar no Facebook.

Em frente à mega-instalação do português Alexandre Farto, conhecido como "Vhils", os estudantes Lesly Jaffard, de 17 anos, Pierre Price, de 21 anos, Melinda Borelva, de 19 anos, e Taïma Speno, de 18 anos, ensaiam a coreografia, ainda que o salto final de Ronaldo seja o mais difícil de sincronizar.

"O salto dele é como se voasse, como um desenho animado. E grita "Ehhhhhhhh"!", descreveu Melinda, com Pierre a considerar que "é um estilo, uma espécie de potência enraivecida" e Leslie a acrescentar que "é o seu sinal de vitória".

É Leslie quem orienta os movimentos da coreografia do grupo de amigos - batizado 'Original Fam'- já que está habituada à dança 'afro-beat', ainda que tenha sido Pierre a ver o desafio na internet e a motivar as amigas a fazer uma dança para a música.

O que conta é mesmo o som e a dança, a letra não interessa quase nada para estes jovens, apesar do cunho humorístico da música num momento em que as atenções estão viradas para o Mundial e, particularmente, para aquele que é considerado o melhor jogador do mundo.

"Ele ganhou muitas bolas de ouro, não foi? Não sigo muito o Mundial, vou ouvindo ecos dos jogos aqui e ali", disse Taïma, apoiada por Pierre, que falou em "bom jogador", ainda que não esteja "muito virado para o futebol" porque prefere a dança e o basquetebol.

Ainda assim, o jovem "até gostava que Portugal ganhasse por causa do Ronaldo" e não mostrou qualquer sentimento de rancor ou vingança por Portugal ter sido campeão europeu de futebol, em 2016, na final em que defrontou a França, em Paris.

"O que me interessa é mesmo o mundo da dança. Somos uma pequena trupe, ainda a crescer e escolhemos sons da moda para dançar e para nos fazer conhecer", resumiu Pierre.

O próximo passo é terminar a coreografia, apurar o movimento final do "salto de Cristiano Ronaldo" e "partilhar o vídeo no Facebook, Snapchat, todas as redes sociais para ter o máximo de visualizações", concluiu Leslie.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".