CR7 vs. Neymar no duelo entre o gigante das 12 orelhudas e o aspirante que desespera pela primeira

Real está invicto há 17 jogos europeus no Bernabéu, mas terá pela frente o PSG e o melhor ataque da fase de grupos (25 golos). De um lado estará Ronaldo, o melhor do mundo, e, do outro, o brasileiro que poderá substituí-lo no Real. Zidane e Emery também jogam para manter os respetivos lugares...

O Santiago Bernabéu recebe quarta-feira (19.45, Sport TV2) um duelo de gigantes, talvez o mais aguardado dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, que irá opor o Real Madrid de Cristiano Ronaldo ao PSG de Neymar. Mas será o campeão francês capaz de impedir os merengues de sonhar com o terceiro título consecutivo da Champions e o 13.º da história?

O PSG espera e desespera pela conquista da Champions, desde que Nasser Al-Khelaifi comprou o clube em 2011 e colocou em andamento o sonho milionário da conquista da orelhuda (como é conhecida a taça). Hoje, quase 900 milhões de euros depois, o clube terá nova oportunidade para seguir em prova. Esta é a sexta presença seguida do clube nos oitavos - e também a sexta no seu historial.

Nas quatro primeiras apurou-se, mas na época passada foi afastado de forma dramática, ao ser protagonista da maior reviravolta na história da Champions. Após ganhar por 4-0 ao Barcelona, em Paris, o emblema francês foi a Camp Nou perder por 6-1. Um jogo em que brilhou pelos catalães Neymar, agora estrela maior do PSG, ao contribuir com dois golos e uma assistência. Até a UEFA ficou rendida ao brasileiro, ao ponto de questionar: "Que noite a deste homem. Será o futuro n.º 1 do mundo?"

Poderá ser, mas ainda não é. Esse estatuto é de Cristiano Ronaldo e para Zidane não há comparação possível. "Ronaldo e Neymar são grandes jogadores, mas estamos a falar de alguém [CR7] que fez coisas extraordinárias, ganhou cinco Bolas de Ouro e não são coisas comparáveis. Não é Ronaldo contra Neymar, é Madrid contra Paris. Todos querem ver um bom jogo", defendeu, ontem, o técnico a quem só a Champions poderá manter no cargo, depois da má época na liga espanhola. Mas, para o francês que treina o Real, este não será um jogo para mostrar credenciais: "Não tenho de provar nada frente ao PSG."

Já para o espanhol Unai Emery, que treina o PSG, o importante é que esta eliminatória pode "mudar a história" do emblema parisiense e não o lugar dele como técnico. Para já, "o objetivo é eliminar o Real", mas a tarefa não é fácil e o técnico espanhol ainda não sabe se o uruguaio Cavani vai recuperar a tempo de poder apresentar o melhor ataque (recorde de 25 golos na fase de grupos) no Bernabéu.

A nível individual, ninguém marca tanto na Champions como CR7 - 43 golos em 43 jogos desde 2010-11. E apesar de os treinadores terem tentado tirar pressão a Ronaldo e a Neymar, todos os olhos estarão virados para o duelo entre o melhor e o terceiro melhor do mundo.

Em Madrid espera-se que o português dê resposta em campo aos rumores de que não está feliz e pode mesmo mudar de ares após o Mundial 2018. Do mesmo mal sofre Neymar em Paris. O brasileiro deu-se mal com alguns colegas e não estará satisfeito, sendo mesmo o eleito de Florentino Pérez para a era "pós-Ronaldo". A saída milionária para o PSG (222 milhões de euros) terá sido o primeiro passo para o brasileiro chegar ao Bernabéu, mas enquanto houver Ronaldo - eleito o melhor do mundo pela quinta vez em 2017- em cena, esse é um cenário difícil de se concretizar. A não ser que o Real continue a negar melhorar o contrato do português, que, nesta altura, ganha (21 milhões/época) metade do que recebe Messi (40) e menos de metade do ordenado de Neymar (50).

Por tudo isto este Real-PSG é mais do que um jogo de futebol, entre um gigante da Champions e um aspirante ao primeiro título.

Brand Story

Tui

Últimas notícias

Mais popular

  • no dn.pt
  • Desporto
Pub
Pub