PSP lança gás pimenta sobre adeptos do Atlético de Madrid. Três pessoas detidas

Vários colchoneros entraram em confronto com as forças da ordem à entrada do estádio José Alvalade, onde o Atlético de Madrid vai defrontar o Sporting esta quinta-feira. A PSP lançou gás pimenta sobre os adeptos

A PSP foi obrigada a intervir junto da claque do Atlético Madrid, tendo sido obrigada a deter três pessoas e a utilizar gás pimenta para controlar os adeptos colchoneros à entrada do estádio.

Segundo reportagem da TVI no local - aqui partilhada pelo site desportivo da Media Capital Mais Futebol - foram vários os comportamentos agressivos dos adeptos. Imediatamente a PSP inteveio e fez detenções para repor a ordem.

Os incidentes aconteram perto da zona dos torniquetes, ainda fora do recinto de jogo.

Já dentro do Estádio José Alvalade, os confrontos continuaram e o corpo de intervenção foi chamado à ação.

A tensão durou cerca de cinco minutos, a hora e meia do começo da partida.

Alguns adeptos tiveram mesmo de ser assistidos pelos bombeiros no local.

Os leões vão procurar recuperar esta quinta-feira, em Alvalade, da desvantagem ditada pela derrota por 0-2 na capital espanhola.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.