Cinco jogadores de voleibol cubanos condenados por violação

O caso remonta a julho, quando a seleção cubana esteve no país para um torneio antes dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro

Cinco jogadores da seleção cubana de voleibol foram considerados culpados de violação por um tribunal finlandês.

O caso remonta a julho, quando a seleção cubana esteve no país para um torneio antes dos Jogos Olímpicos do Rio de janeiro. Seis jogadores foram acusados de violar uma mulher no hotel onde a equipa ficou, em Tampere. Um foi considerado inocente.

Entre os cinco considerados culpados, quatro receberam penas de cinco anos de prisão e um quinto foi condenado a três anos e meio.

Todos os homens, com idades entre 19 e os 27 tinham negado a acusação, ou negando ter estado com a mulher ou alegando que o sexo foi consensual.

A federação cubana tinha condenado o caso em julho. A equipa foi aos Jogos Olímpicos sem os jogadores detidos, mas perdeu todos os jogos.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.