Jet Li e Jack Ma unem-se para levar tai-chi aos Jogos

Duas personalidades chinesas criam nova arte marcial, intitulada de Gong Shu Dao, e pretendem inclui-la nos Jogos Olímpicos

A estrela chinesa de cinema Jet Li e o magnata chinês Jack Ma criaram juntos uma nova arte marcial, com base no tai-chi, visando a sua inclusão nos Jogos Olímpicos, informou hoje a agência noticiosa oficial Xinhua.

Ma, que desde há 20 anos pratica tai-chi, e Li batizaram esta nova arte marcial como Gong Shu Dao, com o objetivo de profissionalizar as artes marciais com origem na China e a sua inclusão no programa olímpico.

O coreano taekwondo e o japonês judo são já desportos olímpicos.

"Desde 1990, todos os praticantes de artes marciais na China têm pensado como levar [o tai-chi] aos Jogos Olímpicos, e temos trabalhado nesse sentido durante décadas, mas sem sucesso", afirmou Li, durante a cerimonia de apresentação do Gong Shu Dau, citado pela Xinhua.

Li, que luta desde os oito anos e foi campeão nacional da China aos 12, revelou que debateu esta questão com Jack Ma e decidiram imitar as experiências do Japão e Coreia do Sul.

Ambos adotaram então por converter o tai-chi aos padrões exigidos pelo programa olímpico.

Jack Ma é fundador do grupo Alibaba, responsável por cerca de 90% do comércio eletrónico na China, e um dos homens mais ricos do país.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).