Chelsea apanha susto mas vence Watford de Marco Silva

O Watford esteve a vencer em Stamford Bridge, mas acabou derrotado pelo Chelsea, por 4-2, e foi ultrapassado na classificação pelos atuais campeões

Em Londres, Marco Silva esteve perto de dar ao Watford a primeira vitória no terreno do Chelsea desde 1986, mas acabou por cair perante os 'blues' nos instantes finais.

Logo aos 12 minutos, o espanhol Pedro colocou o Chelsea em vantagem, mas o Watford respondeu pelo francês Doucoure, aos 45+2.

No arranque da segunda parte, aos 49 minutos, o argentino Pereyra consumou a reviravolta no marcador e obrigou o Chelsea a mexer, com Antonio Conte a lançar na partida o belga Batshuayi, que acabou por ser determinante.

O avançado refez a igualdade aos 71 minutos e bisou nos descontos, aos 90+5, isto após o espanhol Azpilicueta ter colocado a formação da casa novamente na frente, aos 87.

Com este resultado, o Chelsea, que vinha de duas derrotas consecutivas na Premier League, subiu provisoriamente ao quarto lugar, com 16 pontos, mais um que o Watford, que caiu para quinto.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.