Segunda volta arranca com sete golos e penálti decisivo nos descontos

O Desportivo de Chaves venceu hoje o Vitória de Guimarães, por 4-3, no primeiro encontro da 18.ª jornada e da segunda volta da I Liga portuguesa de futebol, decidido por uma grande penalidade nos descontos.

Após recorrer ao videoárbitro, Tiago Martins marcou uma grande penalidade, convertida por Pedro Tiba, aos 90+6 minutos, e que permitiu ao Desportivo de Chaves, que não perde há oito encontros, isolar-se no sétimo lugar, agora com mais três pontos do que os vimaranenses, que somaram o quarto desaire consecutivo na prova.

Os restantes seis golos da partida foram marcados na primeira parte, com Hurtado (10 minutos), Raphinha (16) e Tallo (39) a darem vantagem aos vimaranenses e Pedro Tiba (38), de grande penalidade, e Davidson (39 e 44) a marcarem pelos flavienses.

Ler mais

Exclusivos

Ricardo Paes Mamede

DN+ Queremos mesmo pagar às pessoas para se reproduzirem?

De acordo com os dados do Banco Mundial, Portugal apresentava em 2016 a sexta taxa de fertilidade mais baixa do mundo. As previsões do INE apontam para que a população do país se reduza em mais de 2,5 milhões de habitantes até 2080, caso as tendências recentes se mantenham. Segundo os dados da OCDE, entre os países com economias mais avançadas Portugal é dos que gastam menos com políticas de apoio à família. Face a estes dados, a conclusão parece óbvia: é preciso que o Estado dê mais incentivos financeiros aos portugueses em idade reprodutiva para que tenham mais filhos.