Carvalhal vai deixar o Swansea no final da época

Continuidade do treinador português descartada, avança BBC

A mais do que provável descida de divisão do Swansea, que precisaria de um milagre na última jornada para se manter na Premier League, já levou a administração do clube galês a decidir-se pela saída de Carlos Carvalhal.

O treinador português, contratado em dezembro passado, ainda conseguiu encetar uma recuperação na tabela, depois de apanhar a equipa no último lugar da tabela, mas uma recente série de oito jogos sem vencer ditou novamente a queda nos lugares de descida.

Com a derrota caseira frente ao Southampton e o empate do Huddersfield, quarta-feira, no terreno do Chelsea, o Swansea precisa de um milagre na última ronda para evitar a descida. Em 16.º lugar, com 33 pontos, a equipa de Carvalhal, que recebe o já despromovido Stoke, está a três pontos do Southampton, que recebe o já campeão Manchester City. Mas não basta ao Swansea vencer e esperar por uma derrota do Southampton, já que a diferença de golos é muito favorável ao rival: a equipa do português teria de anular dez golos de desvantagem.

Assim, Carvalhal, cujo trabalho no Swansea chegou a merecer vários elogios - além das várias frases célebres com a adaptação de alguns ditos populares portugueses -, prepara-se para abandonar o cargo após o jogo do próximo domingo, avança a BBC. O contrato do técnico é válido apenas até final da temporada.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

"Petróleo, não!" Nesta semana já estivemos perto

1. Uma coisa é termos uma vaga ideia de quão estupidamente dependemos dos combustíveis fósseis. Outra, vivê-la em concreto. Obrigado aos grevistas. A memória perdida sobre o "petróleo" voltou. Ficou a nu que temos de fugir dos senhores feudais do Médio Oriente, das oligopolísticas, campanhas energéticas com preços afinados ao milésimo de euro e, finalmente, deste tipo de sindicatos e associações patronais com um poder absolutamente desproporcionado.