Bernardo Silva marca na goleada do Man. City ao Swansea (5-0)

Português fez o quarto golo no triunfo esmagador do campeão inglês sobre a equipa treinada por Carlos Carvalhal.

O Manchester City, já campeão inglês de futebol, goleou este domingo, em casa, o Swansea, de Carlos Carvalhal, por 5-0, num jogo em que o português Bernardo Silva marcou um golo.

A formação comandada pelo catalão Pep Guardiola adiantou-se no marcador logo aos 12 minutos, por David Silva, ampliando a vantagem aos 16 minutos, por Raheem Sterling.

Na segunda parte, Kevin de Bruyne ampliou, aos 54 minutos, Bernardo Silva, dez minutos depois, fez o quarto e o brasileiro Gabriel Jesus redimiu-se de um penalti falhado aos 63 minutos, fechando a contagem, aos 88 minutos.

O Manchester City passou assim a somar 90 pontos, mais 16 do que o Manchester United de José Mourinho, segundo classificado, enquanto o Swansea se mantém em 17.° lugar, último lugar de permanência na ´Premier League´, com quatro pontos de vbantagem para o Southamptom, primeira equipa abaixo da linha de despromoção.

Antes, o Stoke City e o Burnley empataram 1-1, com golos de Papa Ndiaye, aos 11 minutos, e de Ashley Barnes, aos 62 minutos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.