FC Porto vence e deixa Sporting longe do título (2-1)

Dragões ganharam o encontro, com golos de Marcano e Brahimi. Rafael Leão entrou na história por ser o mais jovem de sempre a marcar num duelo entre as duas equipas.

O FC Porto venceu o Sporting na noite desta sexta-feira no Dragão e a nove jornadas do fina do campeonato os dragões ficam com mais oito pontos que o clube de Alvalade que no fundo são nove devido ao confronto direto (0-0 na primeira volta em Alvalade).

O encontro começou equilibrado com lances de perigo nas duas balizas. Marega atirava ao poste, Doumbia pedia penálti por falta de Dalot com Soares Dias, ajudado pelo VAR, a deixar o jogo seguir.

À passagem da meia-hora Marcano fez o primeiro numa jogada de insistência, contudo ao minuto 43 Doumbia, lesionado, foi rendido por Rafael Leão que na primeira vez que tocou na bola restabeleceu o empate após um soberbo passe de Bryan Ruiz.

No segundo tempo o FC Porto entrou a todo o gás e Brahimi fez o o 2-1 numa jogada que apanhou a defesa do Sporting bastante desequilibrada. O Sporting foi à procura do empate e podia ter obtido um resultado melhor, pois Bryan Ruiz atirou ao poste, Coates cabeceou ligeiramente por cima e Rafael Leão, novamente, falhou escandalosamente o bis após um soberbo centro de Ruben Ribeiro que havia entrado.

Em contrapartida Battaglia salvou em cima da linha uma bola de Marega que se encaminhava para a baliza.

Num jogo estranho em que o Sporting teve mais remates, mais cantos e mais posse de bola, o FC Porto venceu sem Rui Patrício ter feito uma única defesa

Veja o resumo da partida:

Eis os onzes:

FC Porto: Casillas, Maxi Pereira, Felipe, Marcano, Diogo Dalot; Herrera, Sérgio Oliveira, Otávio; Marega, Gonçalo Paciência Brahimi

Sporting: Rui Patrício, Ristovski, Coates, Mathieu, Coentrão; William Carvalho, Battaglia; Bryan Ruiz, Bruno Fernandes, Acuña; Doumbia.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

João Gobern

Tirar a nódoa

São poucas as "fugas", poucos os desvios à honestidade intelectual que irritem mais do que a apropriação do alheio em conluio com a apresentação do mesmo com outra "assinatura". É vulgarmente referido como plágio e, em muitos casos, serve para disfarçar a preguiça, para fintar a falta de inspiração (ou "bloqueio", se preferirem), para funcionar como via rápida para um destino em que parece não importar o património alheio. No meio jornalístico, tive a sorte de me deparar com poucos casos dessa prática repulsiva - e alguns deles até apresentavam atenuantes profundas. Mas também tive o azar de me cruzar, por alguns meses, tempo ainda assim demasiado, com um diretor que tinha amealhado créditos ao publicar como sua uma tese universitária, revertido para (longo) artigo de jornal. A tese e a história "passaram", o diretor foi ficando. Até hoje, porque muitos desconhecem essa nódoa e outros preferiram olhar para o lado enquanto o promoviam.