Bandeiras do País Basco e da Catalunha proibidas no Eurobasket

Órgão que tutela o basquetebol a nível mundial diz que vai abrir um inquérito

O Eurobasket, maior competição europeia de seleções de basquetebol, arrancou na passada quinta-feira e está já envolto em polémica. A realizar-se na Turquia, Finlândia, Israel e Roménia, foi precisamente neste país que alguns adeptos espanhóis se viram envolvidos numa situação mais desagradável.

Oito amigos espanhóis deslocaram-se até Cluj-Napoca para ver a estreia do seu país na competição (Espanha venceu Montenegro) e foram vestidos a rigor. No entanto, alguns dos adereços ficaram à porta do pavilhão.

Um dos espanhóis, chamado Maider, levava uma bandeira com referências a Bilbau, a sua terra natal. "Nada de bandeiras com alusões ao País Basco ou à Catalunha", foi-lhe dito por quem assegura a segurança da competição, de acordo com o El Mundo.

As que referiam Salamanca, Valladolid, ou qualquer outra cidade, bem como "Força Llull", um dos craques espanhóis, mas que está lesionado, não tiveram qualquer problema.

O El Mundo ???????contactou as autoridades espanholas na Roménia, e não existia qualquer diretiva sobre o assunto. A Federação Internacional de Basquetebol (FIBA) tem à porta dos pavilhões a informação de que apenas bandeiras oficiais dos países podem entrar.

Fontes da FIBA também negam que existam ordens específicas relativamente ao assunto e que até será aberto um inquérito sobre o sucedido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Benefícios fiscais para quê e para quem

São mais de 500 os benefícios fiscais existentes em Portugal. Esta é uma das conclusões do relatório do Grupo de Trabalho para o Estudo dos Benefícios Fiscais (GTEBF), tornado público na semana passada. O número impressiona por uma razão óbvia: um benefício fiscal é uma excepção às regras gerais sobre o pagamento de impostos. Meio milhar de casos soa mais a regra do que a excepção. Mas este é apenas um dos alertas que emergem do documento.

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la no ensino superior

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.