Argentina goleia Singapura por 6-0 no regresso de Salvio

A seleção argentina goleou fora Singapura por 6-0, esta terça-feira, num encontro particular marcado pelo regresso do benfiquista ao 'onze' da formação albi-celeste, que não contou com Lionel Messi

Três dias depois do triunfo por 1-0 sobre o Brasil, o segundo jogo da 'era' Jorge Sampaoli não teve história, com a formação sul-americana a chegar ao intervalo a vencer por 2-0 e a marcar mais quatro tentos na segunda parte.

Federico Fazio (25 minutos), Joaquin Correa (31), Alejandro Dario Gomez (60), os suplentes Leandro Paredes (74) e Lucas Alario (90) e o ex-benfiquista Ángel Di Maria (90+3) apontaram os tentos do conjunto argentino.

Salvio atuou no 'onze' de Sampaoli, tendo cumprido os 90 minutos, tal como Paulo Dybala e Di Maria, dois dos poucos habituais titulares utilizados pelo novo selecionador argentino.

A formação 'albi-celeste' só volta à ação no final de agosto, no Uruguai, em encontro da zona sul-americana de apuramento para o Mundial de futebol de 2018.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.