António Guterres, José Couceiro, Ronaldo e Gio nas bancadas

Jogo com Marrocos levou alguns ilustres ao estádio. Joseph Blatter, antigo presidente da FIFA, foi um deles, apesar de suspenso.

António Guterres foi um dos ilustres portugueses a marcar ontem presença no Estádio Luzhniki (Moscovo) para ver o Portugal-Marrocos. Na Rússia para reunir com o presidente russo, Vladimir Putin, o secretário-geral da ONU não perdeu a oportunidade para ver Ronaldo e companhia.

Guterres viu o jogo na tribuna VIP, ao lado do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa - também ele reuniu com Putin (ver fotolegenda) -, do presidente da Federação Portuguesa de futebol, Fernando Gomes, e do presidente da FIFA, Gianni Infantino. Quem também esteve no jogo a convite do presidente russo foi o antigo líder do organismo mundial, Joseph Blatter, que ignorou a suspensão de oito anos, imposta pela FIFA, e assistiu ao encontro num camarote.

Nas bancadas foi Georgina Rodriguez quem deu nas vistas. A namorada de Cristiano Ronaldo assistiu à partida ao lado de Miguel Paixão, antigo jogador e um dos melhores amigos do capitão português. Equipada a rigor, com a camisola nacional e o n.º 7 nas costas, a espanhola desfilou beleza e boa disposição, apesar dos três golos que o namorado marcou a Espanha no jogo de estreia.

Ronaldo, o fenómeno brasileiro, foi outro dos espectadores presentes no estádio e acabou mesmo por adivinhar o primeiro e único golo do jogo, marcado por CR7. Depois da previsão, o antigo jogador brasileiro comemorou o golo do "gajo" ao lado do amigo português, o advogado Miguel Macedo, e mostrou o vídeo no Instagram.

No estádio esteve ainda a família de João Moutinho e a família de João Mário, ele que ontem foi titular em vez de Bruno Fernandes. Os pais do médio do Inter Milão e um dos irmãos foram apoiar a seleção a Moscovo e felicitaram o jogador pela titularidade e pela vitória.

Quem também foi ao estádio ver o jogo foi José Couceiro. O treinador, que já foi selecionador sub-21 de Portugal e treinou o Lokomotiv Moscovo (onde orientou Manuel da Costa, por exemplo), fez questão de ir apoiar a seleção nacional na Rússia.

Ler mais

Exclusivos