Andy Murray deve perder o resto da temporada

O tenista britânico, número dois do mundo, anunciou esta quarta-feira que "provavelmente" não vai jogar mais até ao final da temporada, devido a uma lesão na anca

"Infelizmente, não estarei em condições de disputar os próximos torneios de Pequim e de Xangai, e muito provavelmente os dois últimos torneios do final de época, Viena e Paris, devido à minha lesão na anca", escreveu Andy Murray na sua página no Facebook.

O escocês sublinhou que, depois de conversar com muitos especialistas e com a sua equipa durante a última semana, concluiu-se que esta era a melhor decisão para o seu futuro.

O britânico, de 30 anos, que se tinha retirado dois dias antes do início do US Open, não joga desde o torneio de Wimbledon, em junho, no qual foi eliminado pelo americano Sam Querrey nos quartos de final.

Murray terminou o ano passado como número um do mundo, mas acabou por ser ultrapassado pelo espanhol Rafael Nadal em agosto de 2017, numa época em que a lesão na anca tem afetado o seu rendimento.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".