Heldon bisa e apura Cabo Verde. Angola fica pelo caminho

Esta quarta-feira completou-se a 2.ª eliminatória da fase de qualificação africana para o Mundial. E quatro jogadores da I Liga estiveram em destaque

DN
© Álvaro Isidoro / Arquivo Global Imagens

Heldon (Rio Ave) foi fundamental ao fazer os dois golos da vitória caseira de Cabo Verde sobre o Quénia (2-0), aos minutos 45 e 52. Assim, a seleção cabo-verdiana, que é orientada pelo português Rui Águas, apura-se para a fase seguinte da qualificação para o Mundial 2018 (apesar de ter perdido fora, por 1-0, na 1.ª mão).

Cabo Verde é a única seleção dos países africanos de língua oficial portuguesa que ainda pode aspirar à presença no Mundial 2018, pois esta quarta-feira Angola ficou pelo caminho. Os angolanos (que já tinham sido derrotados em casa por 1-3) voltaram a perder com a África do Sul: 1-0, fora de casa, devido a um autogolo de Manucho. Moçambique, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe também já tinham sido afastados.

De resto, houve outros jogadores da I Liga em destaque. Os argelinos Brahimi (FC Porto) e Slimani (ex-Sporting) construíram a maior goleada do dia: 7-0, em casa, sobre Tanzânia (após um empate 2-2 na 1.ª mão). O portista abriu o caminho, com um golo logo no primeiro minuto. E o sportinguista bisou, aos 49', de penálti, e 75'. Pelo meio, Faouzi Ghoulam (2), Mahrez e Medjani confirmaram um triunfo que apura a Argélia para a fase seguinte.

Quem também se qualificou com uma goleada foi o Egipto, com Hassan (Sp. Braga) em destaque. Aos minutos 36' e 40', o avançado bracarense fez os dois últimos golos do 4-0 ao Chade, que permitiu aos egípcios darem a volta à derrota (1-0 sofrida na 1.ª mão). Mohamed El Nenny e Abdalla El Said também marcaram.