Guardião egípcio recusa prémio de melhor em campo

Galardão da FIFA é patrocinado por uma marca de cerveja o que levou Ahmed El Shenawy a rejeitar a distinção

Bruno Pires

Ahmed El Shenawy, guarda-redes de 27 anos do Zamalek, esteve em foco na derrota (0-1) da sua seleção, a egípcia, diante do Uruguai. Mas depois do jogo também esteve em franco destaque, já não pelas brilhantes defesas realizadas nas quatro linhas mas por ter recusado receber o troféu que distingue o melhor jogador em campo.

A razão é simples; a distinção é patrocinada por uma marca de cerveja e os muçulmanos estão proibidos de consumir bebidas alcoólicas.

El Shenawy já foi treinado por alguns portugueses como Jesualdo Ferreira, Jaime Pacheco e Augusto Inácio.