Daniel Ricciardo vence GP do Mónaco

Ricciardo bateu o alemão Sebastian Vettel (Ferrari), segundo, e o britânico Lewis Hamilton (Mercedes), que terminou em terceiro e segurou a liderança do Mundial

Susete Henriques
O piloto australiano Daniel Ricciardo (Red Bull) festeja o primeiro lugar no GP do Mónaco  | foto EPA/SRDJAN SUKI
O piloto australiano Daniel Ricciardo (Red Bull) posa ao lado do príncipe Alberto do Mónaco | foto EPA/VALDRIN XHEMAJ
 | foto  EPA/SRDJAN SUKI
 | foto  REUTERS/Benoit Tessier
 | foto EPA/SRDJAN SUKI
 | foto REUTERS/Benoit Tessier
 | foto REUTERS/Benoit Tessier
 | foto REUTERS/Benoit Tessier
 | foto EPA/SRDJAN SUKI

O piloto australiano Daniel Ricciardo (Red Bull) conquistou hoje a sétima vitória da sua carreira no Mundial de Fórmula 1, ao ganhar pela primeira vez o Grande Prémio do Mónaco, sexta prova do campeonato de 2018.

Ricciardo, que partiu da 'pole' e liderou a corrida da primeira à última volta, bateu o alemão Sebastian Vettel (Ferrari), segundo, e o britânico Lewis Hamilton (Mercedes), que terminou em terceiro e segurou a liderança do Mundial.

Senti o carro a perder potência e pensei que estava tudo perdido, mas, graças à equipa, conseguimos recuperá-lo

Apesar de ter sentido alguns problemas no carro, que comunicou via rádio à equipa, Ricciardo levou o seu Red Bull até final sem passar por sobressaltos, rumo ao sétimo triunfo da carreira, numa corrida em que não houve ultrapassagens entre os primeiros.

"A redenção chegou, dois anos depois (segundo em 2016). O carro teve problemas, não sei se ouviram na transmissão, e tivemos muito que fazer. Senti o carro a perder potência e pensei que estava tudo perdido, mas, graças à equipa, conseguimos recuperá-lo", disse Ricciardo, visivelmente emocionado com o triunfo.

O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) acabou em segundo, a 7,336 segundos, e a reduzir de 17 para 14 pontos a distância para o britânico Lewis Hamilton (Mercedes), que foi terceiro, a 17,013, e segurou a liderança do campeonato.

Nos lugares imediatos, acabaram os finlandeses Kimi Raikkonen (Ferrari), no quarto posto, a 18,127 segundos, e Valtteri Bottas (Mercedes), quinto, a 18,822, pilotos que foram ultrapassados pelo vencedor da prova no campeonato.

Hamilton, campeão mundial em título, soma agora 110 pontos, contra 96 de Vettel, 72 de Ricciardo, 68 de Bottas e 60 de Raikkonen.

O Mundial de F1 prossegue a 10 de junho, no circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, palco do Grande Prémio do Canadá

A sexta prova do Mundial de 2018 não teve história na frente, com os cinco primeiros a manterem as posições na largada, que decorreu sem qualquer incidente.

À 12.ª volta, de 78, Hamilton foi o primeiro a mudar de pneus, seguindo-se, à 16.ª, Vettel, e na seguinte Ricciardo, que entrou e saiu sem perder o comando.

Até ao final, os pilotos da frente não mais pararam nas boxes e nem vislumbre houve de ultrapassagens, com a emoção a chegar apenas via rádio, face aos problemas no carro do australiano, que, no entanto, não o impediram de continuar a gerir a liderança.

Na parte final, de uma corrida muito pouco acidentada, destaque apenas para o incidente protagonizado pelo monegasco Charles Leclerc, que perdeu o controlo do seu Sauber e bateu forte no carro do neozelandês Brendon Hartley (Toro Rosso).

O Mundial de Fórmula 1 prossegue a 10 de junho, no circuito Gilles Villeneuve, em Montreal, palco do Grande Prémio do Canadá, a sétima prova do campeonato de 2018.